21 de jun de 2008

Deus

Deus é puro sexo
E tem o gozo do universo
Com seu falo vaginado
Penetra e é penetrado
Pelo cosmológico
Devaneio de amplexo
Sua transa etérea
De buraco negro de verso
Suga e transfigura
A ilusão de ser matéria
Que lubrifica e infla
A vida de vidas
O infinito de finitos
As polipresenças
De ausências.

20 comentários:

Eurico disse...

Deus é útero, poetamigo.
"E tudo o que move é sagrado", como revela a canção do Milton Nascimento.
Abramigo e fraterno.

f@ disse...

Devaneio de deus para diversão/ilusão dos padres...
infinito o universo imaginário...
bj das nuvens

Paloma disse...

Professor, a fala de alguém feito sob medida só pode terminar com um não. Justo por isso, porque, como disse o Oswald, a prova dos nove é a alegria, ou "a prova dos nove é a desmedida".E é por isso também que não tenho alegria em falar de abandonos como aquele que deixei lá no Tramas hoje.
Mas é sempre cheia de infinitos que venho aqui encontrar Deus, e me ver presente em Suas cores vadias.
Um abraço!

Jo disse...

Criação da imagem e semelhança!?


:^D

Iara disse...

Eu ja vi muitas definiçoes para deus, mas essa foi amais criativa.

Iosif Landau disse...

acertou em cheio
no buraco negro
transa etérea
é Deus(a) do sexo

abraço

arquiteliteraturas disse...

Sued

Posto que toda melodia é torta, a compulsão não comporta quando se dê o jato todo em amarelos elos paralelos. Gozo coletivo? Quiça! Mais para desencher que para fruir.

O poema me lembrou Astarote (deus e deusa das antiguidades mesopotâmicas) a quem as fêmeas prestavam culto com uma trepada realizada com primeiro macho que achassem, após a silenta adoração simbólica. E quem não arriasse as vestes para proceder às obrigações, não recebia a relização dos pedidos. Às hebréias se proibiram tais cultos (coisas lá de chifres, também pudera, n'é?).

De qualquer modo, essa entidade reaparece na Literatura Brasileira, num conto, "O ESCOLHIDO", que Caio Fernando Abreu escreveu para homenagear o então ainda candidato nacional F. Collor de Mello.

E lendo esse poema, Le Padre, lembrei-me dessas coisas.

Migalhas são para a História; Literatura é pão e circo.

Vale, Luis!!!

Luma disse...

Qual Deus?
Para a alma do poeta, tudo é possível!

Luis, estive aí pertinho de você!
Boa semana!
Beijus,

Calebe disse...

Muito Foda! Deus, melancolia e esse poder que é um prazer infatigável.

Vontade de dizer mais coisas. Mas sem palavras.

Deixo um grande abraço,

Calebe

Lyra disse...

Deus é o que um homem quiser.

Gostei muito desta tua...versão (risos).

Beijinhos e até breve.

;O)

osrevni disse...

Espetacular, Luis! Eis exatamente minha visão do divino!

Marina disse...

Criativo demais! Como tudo o que você escreve.
Abraço, poeta!

Miguel Barroso disse...

Muito bom. Só um poeta acima de Deus. Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

Mésmero disse...

Agora explicou a criação do UniVERSO!

® disse...

Estranho dimais esse poema...

Gabriela Galvão disse...

Soh agora q eu pensei... O falo vaginado dv ser msm poderosão, ele eh pai d tds... Q medo! huauahah

huahuauah Am... Vim especialmente t convidar a ler o meu primeiro txt... Erótico!

Data d hj e eh intitulado "Devaneio d um fnd a dois - Parte I"


huhuh Bj!

Alice disse...

Não por ser poema e mais curto de ser lido. Comento esse texto porque gosto da palavra Deus. Não sou religiosa febril. Gosto de Deus, do poder e da uniformidade. Aí vc vem e fala que Deus é sexo. Talvez seja esse o grande mistério que tantos andam a procurar.

Bjs e como sempre, admiro seu trabalho.

Raquel disse...

Lindo, parabéns!
Beijos
http://sex-appeal.zipnet
http://cara-nova.zip.net

Mi disse...

[!]


Boa...

Loba disse...

sexo é deus! prazer é deus! vida é deus!
gostei por demais!
beijo