24 de ago de 2008

amo

"se fiz bem, vamos manter silêncio;
se fiz mal - vamos rir então
e fazer sempre pior,
fazendo pior, rindo mais alto
até descermos à cova"
friedrich nietzsche



penso numa beleza, e não vejo o visto, só o vendo, ventania de brisa, alegria de felicidade, solaridade, graça de estar, deleite de forma, informa, parêntese aberto no texto-corpo, dança-samba com os pés de ritmos de afros afrodites dos vôos dos pássaros, asas-emblemas dos dilemas das escolhas de mundos nos brilhosos olhos, os espelhos triturando as frutas de adâmicos pecados de evas, ave, aves, sorriso, gesto, andar, cabelo, olhar, nariz, jeito, sonho, dedos, joelhos, feitiços de textura, pauta aberta, folha avulsa, delicadeza forte, fantasia misturada de um no lugar do outro, os olhos no lugar da boca, a boca no lugar da saliva, a saliva no lugar do tato, o tato no lugar do ouvido, o ouvido no lugar do cheiro, o cheiro no lugar de todos e todos no lugar do sexo, voz no desenlace do desenho de falar o timbre de mulherar-se na festa de eu sorver os lábios-alma de descaminhar-me, na cama de te escutar, entender, ouvir, perceber, depreender, compreender, em dentro entro e em n me transformo, para atrair seu espelho, pecar em seu reflexo, transpor a distância da imagem, listando a lista dos instantes de uma cidade, sem centro, sem periferia, só sua perplexidade, até chegar nela mesma, na acidez de uma frutalicidade, na briga por ela, com sua singularidade, sua inteiridade, sua femininidade , sua voracidade , suavidade, primeiridade, amaridade, sonharidade, quereridade, brilhosidade, liberdade, preciosidade, a idade da poupa, da liberalidade desejante, o banquete , a alma, a visibilidade, a fêmea, a meninidade, a não finituridade de um amor nasciturno, que ama, ama, ama, ama, ama, ama, e pode me amar como eu posso beijar o olhar de sua pupila púbica no altar de seu céu de boca as nuvens rumorosas de sua aura, na aurora delirante do agora eterno, terna, rosa, flor, pétala, cor, purpúrea, tato, toco, morro, nasço, renasço:
amo.

12 comentários:

JOICE WORM disse...

Por vezes sua escrita me faz lembrar o Saramago. O sentimento é único e segue seu curso em um mesmo parágrafo. Somos levados sem saber como o flautista fez aos ratinhos da cidade e depois às crianças.
No seu caso, arrasta pelos olhos e pelo coração os bloguistas mais curiosos e de boa sorte.
Bem haja!

Dauri Batisti disse...

Se algo importa é o que corre, o que pulsa, o que jorra, transborda; palavras, verbos,voz, vácuo, pulmoes, lingua, lábios, sufoco e respirações que se transformam alquimicamente em anseios de amar: "morro, nasço, renasço, amo (o amor é o ouro)."

Ana Maria disse...

Adoro esse jogo de palavras.
Obrigada pela visita.
Beijinhos.

São disse...

amo o seu amo(r)

Fique bem.

renata disse...

Olá Luis,
que belo poema
delicadeza e suavidade.
enfim...
mais uma obra de mestre.
abraços
Renata

Lyra disse...

Felizardo esse ser que é assim por ti amado! Que bem que cantas este amor.

Beijinhos e até breve.

;O)

Lekka disse...

Escrita num único plano...
Beijos
Lekka

Ilaine disse...

Oi!

Você tem talento. Muito talento!
Parabéns,poeta.

Beijo

Eurico disse...

"na aurora delirante do agora eterno"...exsurge a Poesia! Quase que digo: a Protopoesia.
Saudações, Poeta!

Xavier disse...

Estive fora por uns dias e só agora retornei ao ciberespaço. Estou retribuindo a visita ao Clube de Carteado e a dizer que estamos de volta.

Um abraço.
Xavier

Xavier disse...

Estive fora por uns dias e só agora retornei ao ciberespaço. Estou retribuindo a visita ao Clube de Carteado e a dizer que estamos de volta.

Um abraço.
Xavier

Ana Maria disse...

Amigo, o sentimento é único,
amar faz bem.
Beijinhos