23 de ago de 2009

amar

sejamos anterior à morte,
ao esquadrão da morte
a matar o atar de amar,
no armar
quando apenas ama,
sufocando,
o próximo,
com
sua funcionalidade
de ser o ser de ser
namorado,
marido
esposa
amante
irmão
sua institucionalidade de papel
a cumprir
a rezar
a ritualizar
esse distante próximo
quanto mais adiante
quanto mais aqui
neste instante
o legitimado
o aureolado
anjo da purificação
nazifacistafranquista
terrorista das respeitabilidades
na sua máfia de intimidades
na sua guerra de irmandades
a maçonaria da seriedade
em ataques de moralidades
de hipocrisia
de cinismo
de oportunismo
intervencionismo de indiferenças
propriedades de influências
porque parto desta evidência,
que a simples hipótese
da arma de armar
de amar pra matar
de algo feito pra tirar
o mar do amar
a simples hipótese
e nem me refiro a americanos exércitos
a simples hipótese
é já sinal de que tudo é impostura
por ser imposição

por isso parto desta evidência:
o mundo em que vivemos
o mundo que fazemos
o mundo em que morremos
é o pior dos mundos ainda não feitos
escolhemos o pior tecer de aconteceres
os entardeceres no lugar dos amanheceres
a mais óbvia das possibilidades
amar
que é a aceitação da vulnerabilidade
pra armar sobre o vulnerável
im-pondo o duro sobre o não durável:
a arma de matar sobre o mortal suspiro de gozar
porque parto desta evidência:
tudo pode ser parto de um mundo melhor
por igualmente morrermos
parto do parto desta evidência
somos mortais
somos iguais
motivo pelo qual
é sempre o desautorizado
e todos o somos
e se não somos
os desautorizados
é porque estamos armados de matar qualquer vestígio de amar
por isso parto desta evidência
que é sempre o desautorizado
que autoriza
é sempre o louco
o analfabeta
o ignorante
o improdutivo
o pobre
o fodido
é sempre o vulnerável
o finito
que eterniza

11 comentários:

renata disse...

Olá Luiz...que mudança boa!!! parabéns pela inovação no site, o Pichação...

Olha cara, nunca pensei que a melhor defesa que eu participaria seria a minha, a primeira em que eu não vi o mestrando ser esfolado... ehehehehehehe
Devo muito a você, a sua paciencia e orientação, OBRIGADA!
Beijos da amiga
Renata

Mai disse...

Luis, adorei o novo 'lay', novas cores e 'pixação'. E somos modernos, amigos e vamos sendo e vamos amando porque o amor não se detém.
Não mudaria vírgula sequer nesse texto impecável.
Aplaudo-te e, moderna, grito uhu!!!

Boa semana,
Abraços,

Eurico disse...

Luís, gostei das laicas orações.
Acho até que as melhores orações são as laicas. rsrsrs Estou na luta, meu amigo. Creio que detectei o "inimigo" no começo de suas estratégicas ações, e vou tirá-lo da sua "trincheira" para exterminá-lo. Pode estar certo disso!

Mas quero saber sobre o ecossocialismo e sua opinião a respeito das idéias da Marina Silva, contextualizadas com a conjuntura. Eu quero ouvi-la. O movimento ecossocialista precisa ouvir novas vozes. O que vc acha, irmão?


Abraço fraterno.

Ilaine disse...

Amigo querido!

Ah, mas que mudança...
Adorei a Pichação.

"amar" - que poema!
Como sempre, estou encantada.
Palavras... encontrei-as todas aqui. Com você!

Luis, obrigada pelo carinho no ensaios.
Beijo, meu poeta

Eurico disse...

Querido Mestre, criei um blogue a partir de um curso que fiz sobre Gestão Cultural, lá é o espaço para pensar o ecossocialismo. Acesse-o quando puder:

http://culturafraterna.blogspot.com/

Abraçamigo e ecossocialista.

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canto da Boca disse...

Traguei de um gole só, sem pausa. Depois traguei pausadamente, e detive-me em algumas provocações, mas a que me tocou sobretudo foi exatamente a não dita, dita em :"essa gente distante tão próxima", que murmurei: essa gente tão próxima,distante...!

Bacana aqui, com essas novas cores.
;)

E vamos e viva às Ações!

Mai disse...

Quisera escrever como tu e, apropriadamente rasgar o coração e bradar, sem profanar as palavras mas, em laicas orações nas catedrais do interior.
Beijos,

São disse...

Gostei muito do poema.

E foi bom , muito bom, regressar aqui.
Abraços.

Jacinta Dantas disse...

Pichação, nome sugestivo para o seu jeito diferente de lidar com as letras. E, pichando, a conjugação de "amar" se faz com rezar, ritualizar, sendo o que interessa ser... AMAR.
Muito bom vir aqui.
Um abraço

YBrussel disse...

"por isso parto desta evidência
que é sempre o desautorizado
que autoriza
é sempre o louco
o analfabeta
o ignorante
o improdutivo
o pobre
o fodido
é sempre o vulnerável
o finito
que eterniza" - AMAR -

Beijos de mim :)