13 de ago de 2010

सौ उम perigo

sou um perigo
sem e com
aprumo
tramo contra
tudo

sou um perigo
sem
rumo
amo
o
mundo

8 comentários:

Coral disse...

achei que depois de "aprumo" vinha um "solto pum". é quase como tirar melecas!

Beijos.

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Canto da Boca disse...

(a sensaçao de liberdade e leveza que tu planas, sobrevoas o mundo é a primeira que capto)

abraço!

Ilaine disse...

Rumei em outra direção, para te encontrar... Saudades de ti. E que lindo poema! Beijo

Sil.. disse...

Meu querido, saudade!!!

Por onde andavas?

PS: Eu acho que tbm sou um perigo rs..

Um abraço meu!!!

EDER RIBEIRO disse...

com ou sem perigo percorrer as linhas do teu poema, mais que achar o rumo é se situar. Abçs.

Carla disse...

Perder o prumo é o primeiro passo para achar o rumo de um mundo que nos pertence...

Bjos!

Sil.. disse...

Não esquece de nos avisar quando o livro estiver pronto, hum!

Bjão!!