17 de nov de 2012

maternalista


vomitai
mãe cosmos
do fora
de si
sem si
alhures
por aí
aqueles que
na Terra
nos ocupou
usurpou
humilhou
assassinou
pelos tempos e tempos,
aquém e além
sem amém
nos fazendo
reféns

ocupai
mãe galáxia
as monarquias
as aristocracias
as oligarquias
as demagogias
as filantropias
o logos nas ogivas
dos vigias
tenham ou não
ismos
sismos
istmos
manias
mono
ou
plurigamias

ocupai
mãe constelação
os
mandonismos
idiotismos
realismos
elitismos
preciosismos
narcisismos
elegantismos
ocidentalismos
orientalismos
fiscos
de fisgos
de
exclusivismos
mismos

ocupai
mãe estelar
a herdeira
propriedade
privada
amorosa
simbólica
étnica
patriarcal
filial
humana
sacerdotal
sem beira
nem
eira

e não esqueçamos
mãe lunar
de ocupar
a OTAN
a Cia
a Usaid
os Bank thinks
o Wall street
a União Europeia
O Banco Central Europeu
o american way of life
a rede globo
o Conselho de Insegurança
ânus
ônus
da
ONU

nos ocupe
mãe vulcânica
de
ovos larvas
nascedouros
de presentes
novos
de
despovoados
povos
vindouros
sem ouros
corpos
de -
demos
varas
de
porcos

nos ocupai
mãe marítima
de palestinos
de iraquianos
sírios
líbios
somalis
javalis
jabutis
de Palmares
liberdades de
Zumbi

nos desocupai
mãe ígnea
dos enxames dos exércitos
das boas
leis
ordens
prosódias
morais
saberes
rigores
edípicos
amores
genéticos
subjetivos
catárticos
estertores

nos, também,
ocupai
mãe aérea
de
africanos
asiáticos
latino-americanos
índios
sapos
hilários
protozoários
de bichos nas plantas
nos plânctons
de
cântaros
pássaros
não acantonados
cantos
no pulmão
mãe terra
de
encantos
de todos
os
aflitos
dos mundos
mundanos
ocupando
os parnasianismos
os beletrismos
e tudo que é
complexo de
épicos enrustidos
arcadismos


mãe Raimunda
Sinhá Vitória
Abandonada mãe
Dos bandos
De
Bandoleiros
Arruaceiros
da
Terra,
Ocupai
Nossa
Presunção
Arrogância
Beligerância
Intolerância
Nossa
Primeira
Segunda
Terceira
Trindades
Ditas naturais
De
filisteias
Exclusividades

Nos ocupai,
Mãe de quaisquer
De maternalistas
Nunca fatalistas
igualdades

2 comentários:

São disse...

Mais um excelente texto, que nos obriga a reflectir...e isso é indispensa´vel cada vez mais nos tempos presentes , tão vazios e escuros.

Bem haja!

Bandys disse...

Ola Luiz,

Gostei muito da sua poesia lirica.
Foi um prazer te-lo no esconderijo e seja sempre muito bem vindo.

Deixo beijos e algumas flores para enfeitar seu dia.