27 de set de 2013

onde
venço
me
rendo
onde
dissimulo
ganhando
ou
não
me
traio
onde
me asseguro
-ou tento-
prestígio
prêmio
vantagem
reconhecimento
tudo
que
teci
teço
tecerei
mares
rios
ventos
estrelas
pardais
negros
índios
mulheres
gays
latinos
asiáticos
crianças
pobres
partículas
de
amores
de
inventos
de
faíscas
flores
mato
num

ato
seus
olores
indiferente
a
seus
estertores

onde
não
venço
não
dissimulo
não
me
asseguro

poeto
o
onde
e
nasço
na
imortal
verdade
onde
morro
na
morte
e ressuscito
na
mortalidade

Um comentário:

São disse...

Interessante o poema e interessante escrever como eu por vezes também o faço...

Abraço grande